Notícias Publicado em: 15/02/2016 Às 1:37 PM
Born to Be Blue: Confira o trailer da biografia do ícone do Jazz, Chet Baker
Redação
Born to Be Blue: Confira o trailer da biografia do ícone do Jazz, Chet Baker (Reprodução)

Foi lançado pelo IFC, o Festival de Cinema de Toronto, o trailer de “Born to Be Blue”, nossa cinebiografia de um dos maiores nomes do jazz mundial, Chet Baker. No vídeo, vemos o ator Ethan Hawke dar vida ao personagem cuja trajetória é cercada de muitas reviravoltas. Confira o trailer:

» Siga o MOVIER no Facebook e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema! «

Com direção e roteiro de Robert Budreau, Born To Be Blue foca na carreira de Baker no final dos anos 60, fase em que os dias de estrelato do artista estavam no passado por conta de seu agravado vício em heroína, problemas com o público (incluindo uma surra que levou de alguns gangsters, prejudicando por anos sua performance) e problemas financeiros. Decidido a reviver sua carreira, Baker planeja uma volta aos palcos. Diferente do clássico documentário, Lets Get Lost, o filme se proponha a contar a vida do autor com uma certa liberdade criativa de direção cinematográfica.

Além do ator de Boyhood – Da Infância à Juventude no papel principal, o longa-metragem traz Carmen Ejogo no papel de Jane, namorada do músico, e Callum Keith Renni como Dick Bock, produtor e empresário do artista.

Chet Baker ao vivo. Trompetista ícone do jazz é uma figura enigmática, cuja trajetória se contrapõe a carreira de belas canções. (Divulgação)

Chet Baker ao vivo em 1964 durante Festival de Jazz. Trompetista ícone do gênero é uma figura enigmática, cuja trajetória se contrapõe a carreira de belas canções. (Divulgação)

Filho de um guitarrista com uma pianista, Chesney Henry Baker, Jr., ou simplesmente Chet Baker, iniciou sua carreira no início da década de 1950 quando se apresentava com grandes nomes como Charlie Parker e Stan Getz. O estrelato veio quando Baker entrou para a banda do saxofonista Gerry Mulligan e, além de seus dotes como saxofonista, apresentou também sua habilidade como cantor. Seu estilo vocal delicado, por vezes sussurrado, veio a inspirar profundamente a bossa-nova de João Gilberto. O declínio veio nos anos 1960, muito devido a sua dependência química e idas e vindas na cadeia. Sua jornada artística foi retomada com força no final dos anos 1970, quando viveu a era mais prolífica de sua trajetória quando se trata da gravação de discos de estúdio. As faixas mais famosas de seu repertório foram suas versões para “My Funny Valentine”, “That Old Feeling”, “There Will Never Be Another You” e “I Fall In Love To Easily”.

Discuta a Notícia aqui no site
Disponibilizamos este espaço para comentários e discussões das notícias e conteúdos apresentados aqui no site. Pedimos que o usuário por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada, e principalmente, saiba respeitar a opinião dos demais. Vamos construir boas discussões, não brigas e confusões. #Pas

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.


Obrigado por compartilhar. Assine nossas redes: